Alimentação

Search our Site

  • A alimentação do soldado português tinha como base a ração diária britânica, acrescida de meio litro de vinho e substituindo o chá por café. Ao soldado português estava também previsto o fornecimento de maior quantidade de pão (750 g de pão), enquanto a ração britânica era de cerca de 540 g de pão. Normalmente a quantidade de pão não era fornecida e era compensada com bolacha de àgua e sal, por arroz ou farinha de aveia. A ração continha carne congelada ou carne de conserva (corned beef), não havendo carne fresca nem chouriço, nem bacalhau (nem as conservas portuguesas tão apreciadas pelos portugueses).

    A ração britânica tinha queijo, doce, mostarda e pikles pelo que os portugueses sentiam a falta de hortaliça, de batatas e outros legumes frescos.

A ração normal tinha habitualmente a seguinte composição por cada homem:

  • Ração normal
    carne fresca ou congelada 454 g
    ou
    carne de conserva (em lata) 340g
    Pão ou bolacha
    Toucinho 114 g
    Queijo 85 g
    Legumes secos 57 g
    Café 30 g
    Doce (compota) 85 g
    Açucar 85 g
    Sal 14 gr
    Mostarda 0,5 g
    Pickles
    Leite condensado
    Rhum
    Tabaco (57 g por semana)
    Fosforos ( 1 caixa 2 vezes por semana)
    Vinho (fornecido no caso do CEP)

  • Além da ração normal, havia ainda a ração reforçada com maior quantidade de alguns géneros (carne fresca ou congelada 586 g, ou carne de conserva 454 g e bolacha 454 g), que era fornecida aos militares empenhados no serviço mais exigente das trincheiras e havia ainda a ração de reserva, ( carne de conserva 454 g, bolacha 454 g, chá 18 g e açúcar 57 g) para fazer face a qualquer interrupção no fornecimento normal de alimentação.

  • As forragens para os solípedes eram também fornecidas pelo canal logístico do exército britânico, sendo baseada na combinação de aveia, feno e palha, em quantidades variáveis consoante o tipo de solípede (cavalo ou muar) e o serviço em que o estava empenhado.

logo

Comissão Coordenadora da Evocação do Centenário da Grande Guerra

 
 
Imagens: Arquivo Histórico Militar (fundo AHM-FE- CAVE-AG)
Fotos de equipamentos Núcleo Museológico das OGFE e do Museu Militar.
 
Textos: O CEP: Os Militares Sacrificados Pela Má Politica, Fronteira do Caos, 2016. A Nossa Artilharia na Grande Guerra (1914-1918), Caleidoscópio,2017.
 
Autores: Coordenação de Pedro Marquês de Sousa. Apoio na preparação de artigos militares OGFE e Fotos: Jorge Baltazar Pinto e André Fernandes.

Room Booking

Thanks for staying with us! Please fill out the form below and our staff will be in contact with your shortly.