Missão Defensiva

Search our Site

AS LINHAS DE DEFESA

A zona avançada (Forward Zone) também designada por primeira zona de defesa, era da responsabilidade das Divisões. Situava-se entre a linha A e a Linha Intermédia (Linha das Aldeias) e compreendia 3 linhas de defesa (A, B e C) numa profundidade de cerca de 2000 m:

missao defensiva


 
  • 2.2 Linha A
  • LINHA A

    Trincheira de vigilância e de combate, a cerca de 200/250 m do inimigo era guarnecida por postos intercalados (com metralhadoras ligeiras, granadeiros e sentinelas) protegida à frente por três faixas de arame farpado ( 3 metros de largura) separadas por 10m de intervalo. Logo na retaguarda desta linha, nos cruzamentos com as trincheiras de comunicação, existiam pequenos abrigos onde se podiam abrigar 25 a 30 homens.(linha de apoio à linha da frente).


  • LINHA B

    A cerca de 300 a 800m à retaguarda da linha A ficava a linha B, que era uma trincheira contínua, com abrigos, posições de morteiros e de metralhadoras pesadas (com uma faixa de arame farpado na sua frente, de 3 m de largura). Era nesta linha que a Divisão devia resistir permitindo que as reservas da Divisão guarnecessem os postos da Linha Intermédia (Linha das Aldeias) ou se preparassem para um Contra-Ataque. Os Batalhões da frente distribuíam as suas companhias pelas linhas A e B e entre elas existiam algumas trincheiras de comunicação.

  • LINHA B

    A cerca de 300 a 800m à retaguarda da linha A ficava a linha B, que era uma trincheira contínua, com abrigos, posições de morteiros e de metralhadoras pesadas (com uma faixa de arame farpado na sua frente, de 3 m de largura). Era nesta linha que a Divisão devia resistir permitindo que as reservas da Divisão guarnecessem os postos da Linha Intermédia (Linha das Aldeias) ou se preparassem para um Contra-Ataque. Os Batalhões da frente distribuíam as suas companhias pelas linhas A e B e entre elas existiam algumas trincheiras de comunicação.

  • 3.3Abrigo
  • LINHA C
    A 500 a 800m à retaguarda da linha B ficava a linha C, que não era uma linha de trincheira contínua, mas sim um conjunto de postos e abrigos, onde estavam as companhias do Batalhão de apoio aos Batalhões da frente. As forças nesta linha tinham a missão de reforçar (apoio imediato) as linhas da frente (A e B) e em caso de necessidade podia ser ocupada pelo Batalhão de reserva de cada Brigada (sector) para contra atacar e reconquistar a linha B. Era na linha C que se localizavam os postos de comando dos Batalhões da frente. No sector português a linha C era definida pelos postos de Picantin, Dead End, Hugomont, Masselot, Wangerie, Road Bend, Lonely, Winchester, Tilleloy Norte e Sul, Ebenzener, Curzon, Lansdonne, Hens, Eduard, Dogs, Albert, Orchard, Path e Haystack.
 

2.1 Linhas defesa A B C

  • 3.2 Trincheira De Comunicacao
  • A 2ª zona de defesa, da responsabilidade do escalão Corpo de Exército, tinha uma profundidade de 3000 a 4000 metros e compreendia duas linhas:
    - Linha Intermédia (Linha das Aldeias ou Village Line): Era uma linha a cerca de 1000 metros à retaguarda da linha C ( a cerca de 2500 a 3000 m da linha A) definida por postos localizados em localidades e quintas abandonadas, com abrigos para morteiros e metralhadoras.. No sector português a Linha das Aldeias era definida de Norte para Sul pelas posições de Lavantie, Pont du Hem, Croix Barbée, Richebourg, Chavattes e Epinette. Sobre esta linha ficavam os Postos de Comando das Brigadas.
    - Linha de Corpo: Situada a cerca de 5000 metros da linha A era formada por um conjunto de redutos bem protegidos, cobrindo os caminhos e itinerários principais. Os postos estavam situados em Le Drumez, Riez Bailleul, Bout Deville, Huit Maisons, e La Couture.

 1.Linhas Defesa A B C Intermedia

 

brigada esquema linhas

logo

Comissão Coordenadora da Evocação do Centenário da Grande Guerra

 
 
Imagens: Arquivo Histórico Militar (fundo AHM-FE- CAVE-AG)
Fotos de equipamentos Núcleo Museológico das OGFE e do Museu Militar.
 
Textos: O CEP: Os Militares Sacrificados Pela Má Politica, Fronteira do Caos, 2016. A Nossa Artilharia na Grande Guerra (1914-1918), Caleidoscópio,2017.
 
Autores: Coordenação de Pedro Marquês de Sousa. Apoio na preparação de artigos militares OGFE e Fotos: Jorge Baltazar Pinto e André Fernandes.

Room Booking

Thanks for staying with us! Please fill out the form below and our staff will be in contact with your shortly.